Old Dragon: Ur - Clérigos

Greatings comrades and maidens!

Continuando com a descrição de Ur - Cenário de Campanha para Old Dragon. Começo agora um esboço sobre as classes e suas especializações. As estatísticas e tabelas das classes continuam as mesmas descritas no Livro Básico, a menos que uma regra específica diga o contrário. E a primeira e que mais sofreu mudanças, são os clérigos.


Em tempos longínquos, os antigos deuses, chamados Numes, caminhavam entre os mortais e concediam a estes adoradores o poder da magia através de orações. Com o Hari Kimat e o abandono dos Numes, as antigas raças perderam o dom de realizar magias divinas. Tempos mais tarde, descobriram que ainda podiam realizar esses milagres, pois quando sonhavam com as antigas divindades, recebiam suas magias durante o sono. Mas apenas as raças antigas podiam fazê-lo, e os humanos não. 
A nova raça então desenvolveu outro meio de utilizar-se do antigo poder dos Numes. Um processo foi inventado para que a energia que existe em itens encantados, lugares místicos e criaturas divinas, pudesse ser absorvida e assim a magia ser realizada. Mas isso tem de ser feito da seguinte forma: o clérigo humano só pode utilizar-se desta energia de um item mágico se este for do mesmo alinhamento. E se for extraí-la de uma criatura, deve ser consentido por esta ou terá de ser arrancada a força. Eles fazem uso de um grimório, como os magos, para escrever as orações e memorizá-las diariamente. 
Nos impérios humanos, os clérigos são conhecidos como neófitos até o 5º nível, e depois disso passam a chamar-se acólitos. Além disso, os clérigos de Ur podem usar qualquer tipo de arma. 

Especializações: a partir do 5º nível, um clérigo de alinhamento neutro pode tornar-se um druida e um clérigo de alinhamento caótico pode tornar-se um sectário, com as mesmas características do cultista do Livro Básico do Old Dragon.

As regras de magias, tanto divina como arcana, caso não tenha ficado muito claras, serão discutidas mais adiante, quando eu darei início ao capítulo de regras específicas.
E se ainda não viu, confira as outras postagens do cenário:

Até o próximo post, sobre os magos.
See you later!

2 comentários:

  1. A maior mudança é que os clérigos tem que buscar magias em itens e criaturas, certo?
    E afastar mosrtos-vivos, ainda rola?

    ResponderExcluir
  2. Sim, e por causa da maldição que existe ali, alguns clérigos malignos atraem essas criaturas. Explicarei esta questão mais a frente.
    Fique de olho.
    Valeu.

    ResponderExcluir