A História de Dragonlance - Parte 1

Neste mês de março, comemora-se o aniversário de 30 anos de um cenário que mesmo não sendo o mais famoso deles, marcou a vida de muitos jogadores: Dragonlance. O mundo da Krynn estreou em uma série de aventuras e romances. Desde então, houve algumas voltas e reviravoltas no cenário e até nas regras usadas, mas Dragonlance continua sendo um dos locais mais inovadores do Dungens & Dragons.




A Guerra da Lança 1984-1987

Dragonlance começou sua vida como a visão do designer de jogos Tracy Hickman. Antes de ingressar na TSR, ele trabalhou numa pequena editora chamada DayStar West Media, onde ele imaginava aventuras que continham "uma história intrigante" e masmorras com um "senso de arquitetura". Ele e sua esposa Laura Hickman publicaram duas dessas aventuras e estavam trabalhando em uma terceira chamada Eye of the Dragon, que colocava dragões com um papel mais importante em uma aventura. Eles ainda estavam falando sobre essa idéia, quando Tracy foi trabalhar na TSR.

O oportunidade de ouro chegou quando os poderosos da ascendente TSR pediram propostas de uma trilogia de aventuras apresentando dragões. Para fazer sua proposta realmente brilhar, Tracy formou uma equipe no chamado "Overlord Project": o gerente Harold Johnson coordenou o projeto, o desenhista Jeff Grubb sugeriu deuses (e gnomos inventores), e o artista Larry Elmore pintou uma série de quatros como amostra. No entanto, Hickman não apenas propôs uma trilogia, mas sim uma série de 12 livros, cada um por um tipo de dragão e também incluiria o primeiro dos romances da TSR, com base na infra-estrutura criada por Rose Estes para os gamebooks da série Endless Quest (1982-1987).

Os diretores foram conquistados pela apresentação impressionante, e Dragonlance nasceu!

A aventura começou com o livro DL1 Dragons of Despair (1984) e continuou até DL14 Dragons of Triumph (1986) . Estes módulos foram extremamente inovadores para o fato de que eles contaram uma história épica de exércitos transformando o mundo de Krynn durante a Guerra da Lança . Eles também tinham grandes mapas. O mundo de Krynn foi outra inovação: um novo mundo para complementar o D&D e AD&D com as configurações existentes de Greyhawk e do Know World. Não só era o coração de uma história épica, mas também foi o primeiro mundo da TSR que se afastou das normas clássicas do D&D: haviam gnomos inventores, muitas raças de elfos e anões e misteriosa raça draconiana.

Como planejado, três romances acompanharam as aventuras de Dragonlance, todos escritos por Tracy Hickman e Margaret Weis, sendo o primeiro Dragons of Autumn Twilight (1984). Os romances fizeram mais sucesso do que as aventuras e começou então uma longa seqüência de publicações, totalizando mais de 100 romances e antologias.

Naqueles tempos, as doze aventuras haviam definido grande parte do mundo de Dragonlance, suplementado por DL5 Dragons of Mystery (1984), um mini- livro de referência , e DL11 Dragons of Glory (1985), um wargame . Enquanto isso, Weis e Hickman também escreveram uma segunda trilogia de romances, estrelada pelos irmãos Caramon e Raistlin Majere, que foi chamado de Dragonlance Legends (1986), e tornou-se outro sucesso.

O sucesso de Hickman e Weis como romancistas logo os tiraram da linha Dragonlance, assim como a história original do cenário estava terminanda. Antes de partirem, eles ofereceram um último presente aos fãs do cenário: Dragonlance Adventures (1987). Foi o primeiro livro de referência em tamanho real para o cenário, e deu aos Mestres a oportunidade de contar suas próprias histórias no cenário.

Matéria originalmente publicada na página do D&D. Nos vemos no próximo post, A História de Dragonlance - Parte 2.

Nenhum comentário:

Postar um comentário