Mostra de Raças: Os Baalihan, ou Meio Demônios


Agora apresentaremos os Baalihan, filhos dos Demônios com os Humanos, como descrito nas origens de tudo. Eles são muito novos no Litígio, reapareceram no século XX, portanto ao longo das eras pós Guerra do Dilúvio não há nada sobre eles. Assim, vamos dividir em 3 partes essa apresentação, da volta dos mesmos e suas 7 Líneas. 

Primeiro apresentamos um resumo de como a 2º Guerra nada mais foi que um plano de fundo para a volta dos Baalihan através das mãos do Demônio Lilith, que possuiu o Humano Hitler para dar conta de todos os estratagemas. Por pouco os Infernum não venceram a Guerra antes do fim de tudo.
Baalihan: "de soldados de Baal a senhores da degeneração humana" 

Os Baalihan, ou Meio-demônios, são os “novatos” da Sociedade dos Esclarecidos Contemporânea; estiveram na Guerra do Dilúvio, e tudo indicava que eles teriam sido destruídos na mesma. Mas o pós 2º Guerra Mundial entre os humanos, foi a volta ao “fronte” dessa raça no Litígio, e se fizeram não apenas como bucha de canhão dos exércitos de Lúcifer, longe da vontade original dos Nephalin Infernum.

Aconteceu que os Baluarte dos Ímpios arquitetaram grande plano na Quiméria; de posse de rituais antigos recentes para a época, invocaram Lilith, um dos grandes demônios criados por Lúcifer. Aproveitando os jogos políticos que se davam na Europa diante de uma grande crise que deixava em desespero a sociedade dos Humanos, tendo na Alemanha a força Nazi-fascista se erguendo como poder salvador, os Ímpios se infiltraram na organização de Hitler e tomaram o mesmo como possuído para Lilith.

A partir dali, a 2º Guerra foi se armando, ao mesmo tempo que Hitler, guiado pelos conhecimentos infernais de Lilith, libertava aqueles que ficaram trancafiados nos Infernos após a Guerra do Dilúvio: os Meio-Demônios, os Baalihan como nome dado por aquele capitão de Lúcifer, filhos da Ganância Humana com a malícia e sagacidade das crias do Anjo da Luz.
Os Baalihan lutaram na Segunda Guerra dos humanos como soldados Alemães, mas como sabemos, foram derrotados. A história real foi que uma aliança entre os Diluvian (EUA) os Ninrodian (ainda no comando da URSS, até serem expulsos do poder pelos Ímpios em 1947) e os Nephalin Celestium em diversas frentes, conseguiu derrubar o poder de Lilith e mandá-la de volta aos infernos.

Após isso, os Meio Demônios dispersaram pelo mundo se unindo a diferentes Ordens Reais dos Infernum, mas não estavam dispostos a serem apenas serviçais. O crescimento econômico do pós guerra coincidiu com o crescimento dos negócios das Línea de Nephalin Infernum, impulsionados pela maestria com que os Meio-Demônios lidavam na Sociedade Quimérica. Isso elevou o prestígio dos mesmo que começaram a ganhar a gerência de diversos braços dos negócios sujos que corriam no mundo. Essa foi a deixa para os Baalihan se tornarem donos do próprio nariz.

O século XXI é acolhido com risos maliciosos pelos Meio-Demônios, em meio a plena decadência da Sociedade Humana. Enquanto muitos assumiram de vez os negócios de Ímpios, Gananciosos e Serviçais pelo brilhantismo que possuem, outros literalmente passaram a perna em seus “chefes”, sem os mesmo perceberem; assim, o tráfico de drogas, humanos, órgãos, armas, prostituição, lutas de rua, grupos de extermínio, jogos clandestinos, e todo tipo de atividade ilícita tem participação dos Baalihan, e em alguns países importantes até mesmo com uma competição de igual contra os celestium.

Os filhos de demônios são a última escala em termos do “sopro divino”, do poder que origina a vida, pois vieram dos Demônios criados por Lúcifer, já expulso dos Céus. Diante disso o controle e Manifestações de Spiritum são menores em relação às outras raças, bem como a relação com a Fé. Teoricamente podemos dizer que não possuem Fé, a substituindo por algo chamado de Vícius.

O Vícius é uma necessidade crucial dos Baalihan. Seus Spiritum e mesmo suas forças materiais só suportam estar em locais que alguma degradação humana exista. Fora de um ambiente assim, vão enfraquecendo aos poucos a ponto de definharem. Dentro de um lugar sagrado com Fé Celestium real poderiam ser destruídos rapidamente. Isso tem relação com a forma da volta dos mesmo. Seus Spiritum não possuem a capacidade de criar uma matéria, então tomam a mesma de um Humano. Ao nascimento de uma criança Humana, o Meio-Demônio que deseja trazer outro do inferno deve depositar um pouco do seu Spiritum na mesma. Com o tempo, por ser mais experiente, vai “devorando” o novo Spiritum humano e tomando para si a matéria. Caso o Spiritum Humano for uma reencarnação isso não dá certo, mas se for uma nova geração há 80% de chances da tomada completa do Spiritum Baalihan sobre o corpo. Por fim, para sustentarem essa relação de uma matéria com um Spiritum diferente do original, precisam do Vícius, e absorvem a degradação Humana pela proximidade com alguém agindo de tal forma.

Foi exatamente essa necessidade que fez dos Baalihan expert na forma com que se organizam, apesar de não possuírem uma organização mundial, agindo os mesmo de forma mais independente, pois acreditam que apenas alianças não permanentes podem dar vantagem nesse jogo.

A degeneração atual da sociedade não é a toa, e os Esclarecidos entendem a contribuição dos Baalihan para isso. Entre os Diluvian recentemente se formaram divisões especiais de destruição dos Baalihan.estes últimos sabem que estão com chances de ganhar nesse jogo. Para isso a confiança que os Nephalin Infernum possuem nos mesmos, ou o que outros deixam passar enquanto for benéfico aos mesmos, é essencial para os planos das diferentes Línea Baalihan. 


A seguir:

A brutalidade caótica dos Liliphan, os "Mediadores da Ignorância"; o fanatismo amoroso dos Balehith, os "Apaixonados" e a luxúria dos Asthartian, os "pervertidos"




Postado e criado por: http://espiritolivrerpg.blogspot.com

5 comentários:

  1. Qual há probabilidade de ser hj 100% filho da nova era?

    ResponderExcluir
  2. Como posso identificar um.
    E como chegaram a tantas concluoes?

    ResponderExcluir