Artefatos: Seda Mágica de Tamu-ra

Com um pouco de óleo e uma pederneira, aquele comerciante de olhos amendoados tinha criado um espetáculo em uma das ruas do bairro Bara em Vectora. Senti minha boca aberta enquanto o incêndio enchia a rua com um cheiro adocicado e uma imagem majestosa. E tão subitamente como apareceu, o espetáculo desapareceu em uma pilha fumegante de pequenas cinzas. O comerciante sorri. Sim, logo percebi que o teste de autenticidade impressionava os turistas, mas na verdade ele servia para diferenciar a seda mágica de Tamu-ra de outros tecidos falso que iriam se enrolam ou derreter quando queimados. Ainda assim, é impressionante que, mesmo em Vectora, uma cidade conhecida pelo comercio em massa, algumas coisas ainda fossem comprovadamente genuínas.
Logicamente comprei um pouco daquele tecido magnífico para pesquisa. Os resultados até agora são impressionantes. Mas antes de falar sobre as propriedades da seda mágica de Tamu-ra, vou comentar um pouco sobre sua origem. A história desse tecido remete ao antigo reino de Tamu-ra, bem antes de sua total destruição pela chuva rubra. Por muitos séculos os Tamurianos vigiaram de perto o segredo da produção desse tecido. Como um dos principais artefatos da Ilha, a seda foi utilizada para pagar impostos, multas e salários, e até mesmo para comprar posições na nobreza daquele reino. Cerimônias com a presença dessa seda eram consideradas importantes e eram obrigatórias em eventos oficiais na cultura imperial Tamuriana. Diversas divindades menores estão associadas à seda de Tamu-ra e o próprio Rei-Dragão Lin-Wu até hoje ainda recebe muitas oferendas com peças feitas com esse material. Mesmo naquela época existia uma rota da Seda, um sistema bem pensado de rotas comerciais que levavam esse tecido para todas as cidades e vilas próximas ao Reino Oriental. 
Esse tecido luxuoso vem de uma lagarta chamada de Mori, hoje extremamente rara, e criada somente em escala domestica nos jardins de Ni-Tamura, em Valkaria. O processo começa com o cultivo cuidadoso da seda, nas árvores de amoreira, que acomoda e alimenta esse inseto. Os produtores espalham os vermes da seda e folhas de amoreira frescas em grandes bandejas empilhadas em depósitos especiais. Lá os insetos produzem um filamento, que acaba se tornando um casulo. Depois de concluído, os casulos são separados e levemente cozidos a vapor, que mata a lagarta e ajuda a soltar os filamentos delicados do casulo. Depois, os filamentos são tecidos, em um processo que pode variar bastante dependendo de família para família. Os fios podem ser tingidos, tornando-os prontos para serem usados em vestimentas ou bordados. Os Tamurianos inventaram determinados tipos de teares, bem como uma série de instrumentos artesanais especializados na tecelagem e acabamento dessa seda. Os tecidos de seda são transformados em peças de tecido destinadas ao uso da nobreza, dos militares ou de alguns heróis importante.

Propriedades da seda mágica de Tamu-ra

Existem quatro tipos principais de seda mágica de Tamu-ra. A seda Mori, a seda quente, a seda fria e a seda forte. Casa uma delas, com exceção da seda Mori que não apresenta nenhuma qualidade especial, tem uma propriedade especifica e é produzia por um tipo diferente de lagarta Mori.
A seda quente geralmente tem cores mais vivas e fortes e tem a característica de ser altamente inflamável. Muita usada como armadilha em palácios da antiga Tamu-ra, essa seda consegue entrar em combustão quando recebe uma faísca ou atrito suficientemente rápido. Antigos guardas de Tamu-ra sempre tinha uma ou duas fitas desse material em suas armaduras, prontas para serem amarradas em suas espadas. A tática era simples e mortal, os guardas atacavam com a intenção de perfurar o oponente, nem que fosse uma perfuração leve, depois o atacante recolhia a arma o mais rápido possível, para provocar um atrito forte, esse atrito se encarregava de inflamar a seda que consecutivamente incendiava o oponente. Personagens que estejam portando uma arma equipada com a Seda Quente recebem a qualidade Queimar (Ex). Essa arma vai causar o seu próprio dano mais o dano de fogo (1d6) originário da seda. Os atingidos por um ataque dessa arma devem ter sucesso em um teste de Reflexos (CD 14) ou vão ser incendiados. O atingido queima por 1d4 rodadas. Uma criatura incendiada pode realizar uma ação de movimento para apagar as chamas.
A seda fria é encontrada em cores mais frias e reverentes e impressiona ao toque. Com as extremidades bem frias e afiadas, pode facilmente enganar um leigo como uma chapa de aço que foi esculpida com todo o talento dos ferreiros anões. Muito comum em monastérios de Tamu-ra, era muito usada pelos monges do antigo reino oriental. Teciam tiras dessa seda em calças e braceletes com o objetivo de cortar os oponentes durante um combate corpo a corpo. Esse material foi mantido em segredo por séculos pelas dinastias de alguns monastérios em Tamu-ra, até que foi descoberta e proibida pelo Imperador Dragão Takemetsu. Mesmo depois da proibição essas dinastias continuaram com o uso da seda fria, criando pequenos clãs com monges usuários dessa arma mortífera e desleal. Personagens portando a seda fria ganham 1d4 (dano cortante) em suas rolagens de dano e o talento Luta Suja. Se o personagem está usando uma arma que não seja uma arma natural ele mesmo recebe 1d4 de dano em cada rolagem de ataque. Ataques e qualquer ação que envolva um movimento brusco (pericias saltar, acrobacia, natação, cavalgar, entre outras) também provocam um ataque involuntário das tiras de seda fria (1d4 de dano), personagens atacando com ataque desarmado ou armas naturais não sofrem esse dano.
A seda forte é a mais rara dentre as sedas mágicas de Tamu-ra. É freqüentemente bem escura e quase sempre negra, bastante leve e com uma característica muito peculiar. Ela retém ataque feito por criaturas do mesmo tamanho, ou menor, que o seu portador. Essa seda só foi descoberta depois da captura e execução do ninja Fujiharu Nozawa. Depois de pesquisar os pertences do ninja, foi descoberto esse tecido, que apesar de extremamente leve, era capaz de defender aquele criminoso contra as armas mais poderosas do império. Pesquisas revelaram que o material não defendia o ninja, mas na verdade ela mesma retinha o dano, e protegia o ninja de praticamente qualquer ataque. Alguns anos mais tarde, pesquisadores encontraram a Lagarta Mori que produzia essa seda. É uma lagarta que só de desenvolve em cavernas próximas de vulcões e se alimenta exclusivamente de resíduos de rocha ígnea. Naturalmente, hoje essas lagartas são encontradas somente em áreas bem próximas ás ruínas de Tamu-ra. O portador da seda forte recebe um modificador de redução de dano 4/-. Esse modificador é reduzido em 1 a cada 2 níveis que o personagem adquiri, refletindo o envelhecimento da seda forte.

Valor de mercado e disponibilidade

Por serem raras no mercado hoje, o valor das peças de seda mágica de Tamu-ra é bem alto. Peças de seda quente valem de 150 a 300 tibares, 15 a 30 vezes o valor da seda normal (LdJ 112), peças de seda fria custam de 220 a 400 tibares e peças de seda forte custam de 450 a 600 tibares de ouro. Sedas quentes e frias podem ser encontradas com membros de família tradicionalmente tecelãs em Nitamu-ra, fato que não facilita a aquisição desse tecido, uma vez que se você pertence a uma família tradicional de Tamu-ra e recebe uma peça de seda mágica, você vai considerar essa peça uma relíquia ancestral de sua família, um artefato tradicional, praticamente um membro da família e a venda desse material não será uma opção. 
Assim a única forma de se conseguir essas peças se resume em expedições buscando relíquias Tamurianas ou conseguindo convencer um Tamuriano tecer uma dessas peças pra você, fato menos provável do que retornar com vida de uma exploração a uma área de tormenta. Partindo do ponto de vista que buscar pedaços de pano no meio do inferno que a tormenta deixou em Tamu-ra, é o jeito mais fácil de conseguir um pedaço de seda mágica de Tamu-ra, encontrar peças de seda quente, seda fria ou seda forte tem a mesma dificuldade. Na verdade vocês podem fazer como eu fiz e buscar esse tecido raro na fonte de todos os desejos, Vectora. Com um pouco de esforço, e muito ouro, é possível encontrar, no bairro Bara, um ou dois comerciantes Tamurianos que talvez tenham uma peça de seda mágica de Tamu-ra para se negociar.

By Tyrometal

4 comentários:

  1. Parabéns pelo post. Esse assunto ainda não tinha sido falado aqui.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, no começo eu também apanhei bem do editor de postagem, mas depois pega-se o jeito. Continue firma.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. muito bom, mas parece q o post esta "sublinhado"

    ResponderExcluir
  4. Então, o Tyrometal me pediu mas pelo aditor do blogger não consegui tirar isso. Tentei copiar e colar no Word e voltat a colar aqui mas deu na mesma. Se alguém tiver alguma dica, sou todo ouvidos.
    Abraço.

    ResponderExcluir