A guerra na comunidade Rpgística

Saudações camaradas. Em pleno sabadão, estou curtindo uma leve ressaca e lendo meus feeds como de costume. Mas uma coisa chamou-me a atenção. Está ocorrendo uma guerra na nossa comunidade. A guerra entre a velha guarda e a nova geração. A old school e a new school. As discussões estão cada vez mais acirradas, deixando Muammar Kadaffi com inveja desta revolução. Passei por diversos blogs acompanhando os posts do dia e em 8 a cada dez levava o mesmo tema: jogar RPG como antigamente ou deixar-se levar pela nova onda de jogos mais voltados pra regras e combos?
Naveguei por vários deles, entre eles Hayashi no Ie, Montante Mágica, Pensotopia, Cavaleiros das Noites Insones, Vorpal e O Clérigo, onde o tema girava em torno da mesma questão. Todos defendendo seu ponto de vista, lógico. Neste ponto, pergunto a mim mesmo onde vamos parar nesta nova onda de incertezas sobre nosso hobbie. Como já disse a todos, a premissa deste blog é simples: a nova geração de moleques não gosta de sentar com um lápis numa mão e uma folha de papel na outra. O legal é aquele novo jogo pra XBox ou Playstation. Tudo bem que ainda há os MMOs e os Taulukkos da vida, mas sabemos que não é a mesma coisa que se reunir com os amigos e desfrutar de algumas horas em volta de uma mesa e arremessar uns certos dados poliédricos. 
Estamos fadados a gostar de um jogo que ninguém mais se interessa, a não ser nós mesmos.
Essa é a fatídica realidade.
E agora nosso hobbie divide-se mais ainda em duas facções que sustentam suas próprias opiniões. Cá entre nós: eu adoro AD&D. Morreria por ele. Gostei também da 4ª Edição. Sua mecânica é impressionante, pois funciona muito bem. Gosto de Vampiro: A Máscara. E adorei o Novo Mundo das Trevas, pois se parece muito com a série Supernatural. GURPS é gurps, e também tem suas qualidades. E também gosto de jogar War, Detetive, Banco Imobiliário e dominó.
Concluindo, cada um joga o que gosta. Acho que não devemos criticar aquele bando de moleques jogando aquela m#rd@ de Tormenta ou um mangánime ruindimais qualquer. Independente disso, eles são a nova geração, a última que nos resta. 
Sou da velha guarda e tenho minhas preferências, mas digo uma coisa: se a 4ª Edição ou outra coisa moderna lhe agrada, apenas jogue. E jogue muito. Jogue com prazer. E faça amigos, não concorrentes.
________________________________________________________
Loco Motive: apesar do pessimismo extremo (o mundo vai acabar em 2015!), mestra campanhas desde 1992. Depois de passar por vários sistemas, entre eles World of Darkness, GURPS, Tagmar, Arkanun (o primeiro), Castelo Falkenstein, Desafio dos Bandeirantes e sistemas próprios, não separa-se do maior de todos e independente da edição: o Dungeons & Dragons. Mas seu queridinho continua sendo o AD&D.

10 comentários:

  1. Desabafou mesmo heim brother. Concordo contigo. Cada um joga o que curte.

    ResponderExcluir
  2. esse vai pro indicados da semana do arena gurps

    ResponderExcluir
  3. Apesar de achar que as coisas são mais complicadas do que definir jogos novos como 'voltados pra regras e combos', eu concordo com a conclusão final.
    Ficar reclamando do jogo dos outros ou criticar pra ganhar moral e agradar amigos, é idiota. Cada um tem que jogar o que gosta mais e deixar os outros se divertirem com seus jogos.

    ResponderExcluir
  4. Como disse o Dark Master, cada um joga o que curte. Eu curto AD&D, mas no momento estou engajado em duas campanhas. De segunda-feira, jogamos D&D 3.0 com o Mestre Morto (Wayne). E de quarta estamos numa campanha de D&D 4, onde tentaremos usar regras adaptadas para jogar sem matriz de combate.
    É isso.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Galera eu concordo com vocês, jogo RPG a mais de 20 anos, já joguei de tudo, até sistemas criados por nós mesmos, o Loco Motive perdeu até a conta de tantas modificações e versões que realizamos mas o que realmente importa é a diversão, reunir com os amigos, jogar conversa fora, comentar as burradas do bárbaro... e não esquecer a regra de ouro "não há regras" vida longa ao velho e novo RPG.

    ResponderExcluir
  7. falou e disse parabens pelo blog se puder passa lá no falando de rpg

    ResponderExcluir
  8. Saudações! Eu sou do blog Montante Mágica e foi gratificante ser citado num post tão bom e que fala de algo polêmico e relevante. Hoje mesmo li outro post, no blog Cavaleiro das Noites Insones, sobre desavenças entre jogadores que vestem uma camisa (old ou new school) e ficam se ofendendo na internet (triste isso).

    Descontentamentos em relação a um estilo de jogar não deveriam se transformar em ofensas entre jogadores, mas isso existe em todo canto.

    Por fim, compartilho com você a admiração pelo AD&D e por uma experiência D&D 4 sem matriz de combate. Abraço e parabéns!

    ResponderExcluir
  9. Bom Post, bom mesmo é experimentar coisas novas sem preconceito, de mente aberta. Ninguém precisa deixar de gostar dos jogos antigos pq gostou de algo novo, isso não é um pecado, RPG não é religião, não é time de futebol.

    Cada um joga o que gosta, independente de ser pen&paper, eletrônico ou seja lá o que mais existir, o importante é ser RPG.

    ResponderExcluir
  10. essa coisa de "guerra" é interessante mesmo. falei la no Dragão Banguela sobre isso, num comentario no ultimo post.

    como o pessoal se sente atacado. nunca vi coisa igual.

    ResponderExcluir