História Completa do D&D: Parte 4

Saudações!

Como todo casal que se preze, chegamos a primeira crise evidenciada pela TSR. Superada com maestria por Gary Gygax, a empresa se reergueu e nos presenteou com um dos mais brilhantes cenários já feitos: Dragonlance.

Segue:

1981 – A má gestão de Blume e a crise financeira resultante

Em 1981, a TSR criou um volume de negócios anual de 16,5 milhões de dólares americanos com 25% de lucro livre de impostos. A revista Inc. havia listado a TSR Hobbies como uma das cem empresas de mais rápido crescimento entre as empresas privadas dos EUA. A empresa empregava agora mais de 200 pessoas e seu conselho administrativo era composto por E. Gary Gygax, Brian Blume e seu irmão Kevin Blume, com os Blumes ainda mantendo 60% das ações. Em 1982, as vendas dobraram novamente, e a TSR quebrou a marca de 20 milhões de dólares.
Até o final do ano, 350 pessoas trabalhavam para TSR. Enquanto isso, a empresa tinha retido os designers e artistas importantes, tais como Tracy Hickman, que escreveu o I3-5 Desert of Desolation em 1982/83 e outro best-seller com a aventura original de Ravenloft, um ano depois. Tal como o artista Larry Elmore, que começou a trabalhar para a TSR em 1981. A produção criativa cresceu, e a TSR lançou Star Frontiers, um rpg de ficção científica. O jogo D&D Basic foi traduzido para conquistar os mercados estrangeiros.
Em 1982/83, a RPGA tinha lançado dois módulos para AD&D, Frank Mentzer R1-4 e Bob Blake RPGA3 e RPGA4 (hoje, todos estes seis módulos figuram na categoria de raridades entre colecionadores americanos).


Trabalho de Mentzer foi o mais influente e único a ser reescrito com as regras originais do D&D Basic. O resultado foi a famosa "Red Box" de 1983. Este ano também viu o lançamento da série de desenhos animados Dungeons & Dragons na televisão (Caverna do Dragão, pra quem ainda não sabe!). O sucesso televisivo decorreu durante dois anos.
A empresa cresceu muito rápido, e nessa toada cometeu erros grosseiros de gestão. Em 1983, eles investiram no negócio de brinquedos voltados para miniaturas e licenças. No mesmo ano, os Blumes haviam enviado Gygax para a Califórnia para estabelecer o D&D Entertainment Corp, com o objetivo principal de levantar dinheiro para um possível filme do D&D. Todas essas novas divisões de capital e dinheiro queimado foram reveladas quando Gygax retornou um ano mais tarde para a sede da TSR em Lake Geneva e a encontrou quase falida.

Disse Gygax em suas próprias palavras:

"Os Blumes forçaram-me a aceitar chutar três para fora da diretoria. Estes três pequenos empresários, dois executivos e um advogado, eram absolutamente ignorantes ao negócio do jogo, e sob a sua direção com os Blumes liderando o caminho, a TSR acumulava 1,5 milhões de dólares de dívida e não conseguia descobrir como pagar. Entre as suas idéias estava o fechamento da RPGA e a venda da Dragon Magazine. Depois de alguma reflexão, eu apresentei uma longa carta ao conselho executivo, destacando a má gestão da TSR por Kevin Blume, e exigindo a sua demissão e substituição. O conselho votou 4-2, com os Blumes abstendo-se, para remover Kevin e colocar um presidente temporário, Richard Koenigs. Cerca de 90 parentes dos Blumes foram retirados da folha de pagamento, dezenas de carros arrendados foram devolvidos, mobiliário de escritório não utilizado e arrendadas também foram vendidos ou devolvidos, e dois grandes lançamentos foram levados às pressas para a impressão: Unearthed Arcana e Oriental Adventures, ambos 1985”.

Como resultado da falta de dinheiro, TSR reduziu o número de funcionários para menos de 150 em duas grandes demissões. Em 1984, mais demissões reduziram o número de empregados a menos de cem.

1984 - Novos mundos: Dragonlance

Um grande sucesso foi o lançamento em 1984 da série Dragonlance, escrito por Tracy Hickman. Em 1988, já havia 15 seqüências o módulo original (DL1 - Dragons of Despair) liberados. Para suportar os módulos, foi decidido publicar romances de Dragonlance, e então a genial parceria entre Tracy Hickman e Margaret Weis estava feita, isso ainda em 1984. Outro grande sucesso foi o primeiro anúncio para jogos de computador de Dragonlance

 
Dragonlance mais tarde foi publicado como um cenário de campanha para AD&D. Os produtos da campanha foram visualmente definidos pela grande arte de Larry Elmore. Dragonlance fez da TSR a editora de fantasia e romances de ficção científica número 1 dos EUA. Mas apesar desses sucessos, a empresa ainda reduzia seu pessoal, colhendo os frutos da crise pela qual havia passado.

1985 - Voltar às raízes com os wargames

Este foi um ano importante para a TSR em termos de lançamentos de AD&D. Com o lançamento do Battlesystem em uma nova caixa, o AD&D recebeu regras para cenários de combate de grande porte e os jogadores tiveram a chance de voltar as suas raízes: os wargames! O aventura H1 - Bloodstone Pass escrita por Douglas Niles, era um super módulo que suportava personagem de nível 15 ou mais e tinha o apoio das novas expansões para os jogos de guerra.


No próximo capítulo: a segunda edição do AD&D!

Veja também: Parte 1, Parte 2, Interlúdio e Parte 3

Nenhum comentário:

Postar um comentário