Guia do Mago Principiante: As ordens secretas dos magos

A maioria dos magos procura absorver uma grande quantidade de conhecimento de qualquer forma de magia encontrada. Ocasionalmente, entretanto, um mago pode ser devotado ao mestrado absoluto de uma escola de magia específica. Nesta parte, daremos uma breve olhada em cada um destes tipos de magos especializados e na forma pela qual eles são mais comumente representados. 



Abjurantes: estes magos especializados se concentram em magias defensivas e relutam em usar seus poderes para ataques. Eles tendem a ser quietos e de fala mansa, gastando a maior parte do tempo em meditação e contemplações. 

Transmutadores: nas sociedades mais avançadas tecnologicamente, estes personagens provavelmente seriam cientistas ou inventores, devido à sua maestria em transformar uma coisa em outra. A sua escola tem mais magias que qualquer outra, dando-lhes a grande flexibilidade de um especialista. Transmutadores adoram usar seus poderes, variando as magias a cada dia. Eles raramente deixam escapar um dia sem usar suas magias memorizadas. 

Conjuradores: estes especialistas preferem deixar que outros façam o trabalho sujo e são capazes de criar um monstro que lute em seu lugar. Esta segurança sobre seus subalternos cria uma tendência entre alguns conjuradores de serem muito “mandões” e de darem ordens aos seus companheiros como se eles fossem seus serviçais. Naturalmente, este tipo de comportamento deu a toda escola uma má reputação, que nem todos seus membros merecem. 

Feiticeiros: estes magos carismáticos têm facilidade para se dar bem com as pessoas. Como os conjuradores, eles são mestres em transferir suas responsabilidades para os outros, mas usam seu charme, personalidade cativante e conhecimento das motivações de outras pessoas para atingir seus objetivos. 

Adivinhos: em certo sentido, são os detetives e sábios da classe dos magos. Insaciavelmente curiosos, eles se unem a grupos de aventureiros principalmente para conseguir informações ou dicas que para outros seriam inatingíveis. Entre as suas investigações, preferem ficar quietos e ponderar sobre os resultados de seus últimos inquéritos. 

Ilusionistas: Esta, a mais conhecida escolar de magos especialistas, atrai personagens que são ao mesmo tempo furtivos e ágeis. Uma fascinação por aparência, um conhecimentos profundo para manipular e fazerem as outras pessoas acreditarem que ele ou ela pareçam mais poderosos do que realmente são – é exatamente isto que o ilusionista quer. Ilusionistas não se dão bem com adivinhos, que consideram seus fantasmas meras sugestões ou truques. Mas apreciam suas habilidades e talentos, nos quais eles aplicam suas magias. 

Evocadores: estes magos são obstinados e desejam nada mais do que a perfeição de sua arte. Eles estão entre os mais agressivos e confiáveis de todos os magos. Não temem as batalhas, considerando-as como uma chance de demonstrar seus terríveis poderes sobre um inimigo incauto. A maior parte das mais famosas magias conhecidas, como a Bola de Fogo, pertence a esta escola. 

Necromantes: estes mestres da morte são obcecados com a dicotomia final da vida e morte, restando a eles pouco tempo para o convívio social. O necromante médio é calmo, não é passional, é mal-humorado e pouco delicado. Para eles, um cadáver é simplesmente material de estudo. Os necromantes tendem a se esquecer do quão assustador seu trabalho parece para outros. Estes magos são muito impopulares em quase todas as sociedades, mas sua habilidade para criar e controlar mortos-vivos os torna bastante poderosos.

Extraído da Dragon Magazine nº1, Abril Jovem, 1995.

Um comentário: