Resumo: "Do surgimento dos Nephalin aos dias atuais"



Apresentamos a seguir um breve resumo da 1º parte de nosso cenário, o qual fala "do surgimento dos Nephalin aos dias atuais", mostrando um pouco do porque ser o nosso mundo um verdadeiro tabuleiro para a Sociedade dos Esclarecidos.

Do milênio da Segunda Queda à Guerra sob as águas do Dilúvio

Os filhos proibidos
Surgem os Humanos, e com eles uma beleza incomensurável que fez grande parte da raça dos Anjos saírem de sua morada celeste para terem relações amorosas ou de dominação com as belas criaturas. Desse fato surgiram os Nephalin, a raça dos Meio-Anjos.

Ordem de caça
Iheowh ordenou que Miguel, capitão dos exércitos celestiais, organizasse falanges que desceriam a terra para caçar os desertores e aquela raça inexistente em seus projetos e portanto proibida.

Contra ataque
Mas os Nephalin, que possuíam habilidades da raça dos Anjos e da raça dos Humanos, organizaram uma poderosa resistência ao se tornarem senhores da humanidade.

Complicações de Guerra
Naquele percurso, os próprios encarregados de assassinarem os Nephalin e os anjos desertores começaram a cometer o mesmo pecado. Lúcifer foge de suas amarras criadas na 1º rebelião e queda, organiza seus exércitos com todas as raças e arregimenta principalmente Nephalin, que se revelam frutos de seu engenhoso plano. A humanidade entra em um crítico momento de degeneração e pecados aos olhos dos Céus.

Os Céus estremecem
"O Primeiro" lança o Dilúvio como arma de destruição aos exércitos de Lúcifer e à humanidade.

O Mestre dos Arcanjos
Metraton, o mestre dos Arcanjos, é enviado com suas falanges para o fortalecimento crítico das falanges de Miguel contra os exércitos de Lúcifer que ainda resiste ao Dilúvio.

Uma nova frente de batalha
Lúcifer saiu mais uma vez derrotado, mas antes de suas novas amarras preparou um exército que foi às portas dos Céus pelo aspecto umbral, e liderados pelo demônio Baal, forçam Miguel e Metraton a se retirarem da terra para essa nova frente. Muitos Nephalin escapam por isso.

Os caçadores de Nephalin
A humanidade se salva pelo prestígio do guerreiro Noé, e Iheowh faz de sua aliança com ele o surgimento da raça dos Diluvian, parte de seus descendentes que deveriam caçar e destruir os Nephalin que se mantiveram vivos. A aliança requer o sigilo, e os Diluvian definem suas presas como “a falange dos esquecidos”, a última parte dos exércitos de Lúcifer que deveria não ser lembrada pela raça humana.

Dos séculos da Hegemonia Diluvian à Trégua

As três forças
Os três filhos de Noé passam cada um a representar um tipo de poder. Jafé os guerreiros, Sem os Sábios, Cam os infiltradores.

 A maldição de Cam
Cam descobre a arrogância humana presente em seu pai, e por não defendê-lo, é amaldiçoado a se subjulgar aos irmãos.

O filho inconformado
Cuche faz seu filho e neto de Cam, Ninrod, ganhar em seu coração sentimentos de contestação à condição de parte subjugada dos de sua raça.

Usurpador do trono
Ninrod desafia Jafé e expulsando-o, conquista o trono e o poder sobre os Diluvian, garantindo a coesão e um poderoso reino, o que fortaleceu a caçada aos Nephalin.

A decisão dos Nephalin
Acuados, aqueles Meio-Anjos que decidiram não ser massacrados pelas espadas de Ninrod dispersaram pelo mundo e se escondem entre a humanidade.

O Ruir de um império, uma nova raça
Cai o poder de Ninrod sob o retorno de Jafé, e se instala a Corte real Diluvian. Os filhos de Ninrod e Semirames se auto proclamam da raça dos Ninrodian e prometem recuperar o trono, ficam marcados como os primeiros Neutrum, a Inclinação que ignora Céus ou Infernos.

Dos séculos de reordenamento ao surgimento do chamado Cristo.

O Litígio
Com o passar dos longos séculos após a queda de Ninrod, tanto Diluvian como Ninrodian adotaram a fórmula dos nephalin de atuação: buscaram se esconder entre os Humanos, apagaram seus vestígios da história e fizeram com que aqueles esquecessem de suas existências. É declarado o Litígio, a luta velada responsável por preparar a todos para a Guerra Final.

As peças se movem
O poder dos Diluvian estremece até a formação do reino de Israel, e tempos se passam entre idas e vindas de quedas e reconfiguração dos poderes no tabuleiro.

Herança
Os Nephalin começam a criar suas Heranças, conjunto de objetos chamados “Legado”, que se fortaleceriam a cada reencarnação de um Nephalin na matéria. Esses objetos foram a base para o início das organizações mundiais dos Meio-Anjos.

O Messias
O poderoso Diluvian Cristus nasce, é responsável por uma poderosa organização que reconfigura a história e parte da visão de algumas raças, como o surgimento dos Neo-Diluvian, que caçariam apenas Nephalin Infernum.

Cai o mito, surgem os párias
Cristus é morto por crucificação. Deixa em sua passagem a profecia da Revelação, o final da última Guerra, e também uma fissura entre os Ninrodian, surgindo os Nômades, párias na Sociedade dos Esclarecidos. A organização cristã explode em mil pedaços com a titulação do cristianismo como religião oficial romana.

O milênio do novo centro do mundo e os impérios mundiais

Aliança imunda
Os Arautos da Ganância, os Nephalin Infernum que buscam se dar bem acima de qualquer coisa, fazem os bárbaros invadirem Roma e selam acordo com os Diluvian Tradicionalistas para dividirem os poderes desse novo período. Enquanto os Tradicionalistas ficam com o alto clero, infiltrados no baixo clero Neo-Diluvian e as Línea nephalicas Celestium resistem, ao mesmo tempo que os Infernum estão na nobreza e a Corte Ninrodian espreita nos campos e cidades decadentes.

Novo cenário
O novo centro do mundo é definido como a Europa, e os Ninrodian são responsáveis pela queda da idade média e ascensão da burguesia como nova classe dominante.

A conquista do globo
O mundo inteiro é dividido, e cada raça, Línea e organizações tomam suas trincheiras. Os Diluvian Tradicionalista se readaptam e seguem como senhores do mundo.

O tabuleiro complexo
Enquanto os Nephalin fortalecem suas Ordens Reais frente a Corte Diluvian, decadente mais ainda detentora dos poderes sobre as maiores potências mundiais, a Corte Ninrodian arquiteta contra as religiões e os poderes de Céus ou Infernos, enquanto nas sombras os Baalihan, os Meio-Demônios que ressurgem na matéria e não vistos aqui desde a Guerra do Dilúvio, criam estranhos estratagemas com obscuros objetivos. Os Nômades seguem em suas caminhadas solitárias lutando pela humanidade, enquanto essa mesma não sabe o que se passa bem a sua frente, apesar de ser o motor central de todo o Litígio.

Publicado e criado por: http://espiritolivrerpg.blogspot.com/

3 comentários:

  1. Nosso resuminho...
    Em breve, as LINEAS dos Meio-Anjos!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, particularmente estou gostando da proposta, bem elaborada.

    ResponderExcluir
  3. Os dias se passam e a proposta de tão elaborada se torna complexa...muita coisa por vir ainda...

    ResponderExcluir