RPG Nacional: A Trama

Greatings comrades and maidens! 

Depois de algum tempo sem postar aqui na sociedade, estou de volta com um surpreendente material nacional: A Trama.


Desenvolvido por John Bogéa, para ser lançado durante o RPGênesis 2011, é um jogo sobre paranóia e conspirações. À primeira vista, o pequeno livreto de 36 páginas chamou-me atenção pela sua arte de capa e arte interna. Muito bonito e trabalhado, dá um ar sinistro ao enredo sombrio do jogo. Em A Trama, os personagens são pessoas comuns que por algum motivo, sabem ou descobriram algo nas entrelinhas deste mundo louco que revelou tratar-se de uma conspiração ou inverdade governamental, algo que está escondido das pessoas comuns, disfarçados de empresas privadas, laboratórios secretos ou até mesmo uma invasão secreta alienígena. Aqui, nada é o que parece e pra quem sabe demais ou fala demais, pode tronar-se um mundo perigoso e violento.
Em A Trama, você é uma destas pessoas e, ao iniciar o jogo, trás em sua bagagem não equipamentos e armas, mas sim teorias que podem, ou não, tornar-se fatos durante o jogo. O Grande Conspirador (mestre/narrador) é quem conduz as cenas de acordo com as concretizações destas teorias.
A Trama utiliza um sistema simples de regras, onde na enxuta (porém prática) ficha de personagem, são assinalados os únicos atributos que os jogadores usarão: Paranóia, suas Teorias de Conspiração, Vislumbre, Influência, Canais de Propaganda, Seguidores e Desafetos. O sistema utiliza apenas 2 dados de 10 faces, e as jogadas de porcentagem são feitas utilizando-se níveis de dificuldade que variam de 25 a 75%, dependendo do tipo de ação escolhida. 
Mas o foco do jogo não é este, e sim as teorias que vão se tornando fatos durante o jogo. Em uma folha onde todo o grupo pode escrever, são anotados as teorias que vão virando fatos, e assim se interligando umas às outras. Se um personagem reconhece que uma de suas teorias é verdadeira, ela se torna um fato, do contrário, ela passa a ser uma ficção imaginária dele e é esquecida. O Grande Conspirador pode (ou deve), escrever num papel a Grande Verdade, e colocá-la num envelope lacrado que será aberto quando está for descoberta ou quando o enredo/trama terminar. Pode até acontecer das descobertas dos jogadores passarem longe desta Grande Verdade, cabendo ao Grande Conspirador adequar a sua história.
Focado no fator interpretativo, A Trama é um excelente cenário que me surpreendeu pela simplicidade e ao mesmo tempo pela funcionalidade e capricho com o qual  foi concebido. Meus parabéns ao John Bogéa pelo trabalho e este livro está sobre uma licença Creative Commons, podendo ser baixado de graça direto do site do autor. Vale a pena conhecer. Clique na figura para fazer o download.

See you later.


Nenhum comentário:

Postar um comentário